08/11/2018

Os Milagres Seguem o Arado!





Por: Pastor e teólogo arminiano  A. W. Tozer


"Arai o campo virgem porque é tempo de buscar ao Senhor, até que ele venha e chova a justiça sobre vós" (Os 10:12)
Vemos aqui dois tipos de solo: o solo duro ou virgem e aquele que foi amaciado pelo arado.
O solo duro é convencido, complacente, protegido dos golpes do arado e da agitação pela grade. Um campo assim, abandonado ano após ano, acaba tornando-se a habitação do corvo e do gaio. Se tivesse inteligência, poderia ter em alta conta a sua reputação; possui estabilidade; a natureza adotou-o; pode ser tomado como certo que continuará sempre o mesmo, enquanto os campos que o rodeiam mudam de marrom para verde e de verde para marrom de novo. Seguro e tranqüilo, ele se espalha preguiçosamente ao sol, um verdadeiro retrato da satisfação sonolenta. Mas o preço que paga pela sua tranqüilidade é terrível: pois ele não vê o milagre do crescimento; não sente os movimentos da vida crescendo, nem aprecia os prodígios da semente brotando, ou a beleza do grão que amadurece. Jamais pode conhecer fruto porque teme o arado e a grade.

01/10/2018

Cristianismo e eleições!



Por Fabio Alves

O Senhor Jesus morreu defendendo todas as minorias perseguidas em seu tempo recusou o uso da espada deu a outra face e caminhou a segunda milha. Foi preso torturado e morto pelo estado imperialista Romano e pela elite religiosa hebréia.

O motivo de sua prisão e morte é que seu discurso e prática inclusiva sobre o Reino dos Céus onde todos poderiam adentrar pela fé no filho de Deus o Messias prometido destruía a estrutura religiosa e ia na direção contrária aos interesses dos ricos saduceus e de seu sumo sacerdote Caifás.

24/09/2018

O Deus “parent” ( Huios filhos maduros)



Helmut Renders é pastor e teólogo Metodista.
  

Para superar uma possível vinculação da metáfora do “parent” a uma contínua infantilização da relação Deus-ser humano, sugere William Barry, mestre inaciano de espiritualidade, a não partir do imaginário da relação entre pais e crianças pequenas, mas entre pais e crianças crescidas. Assim, não se prescreve simbolicamente falando da infantilização da relação divino-humano, mas  projeta-se um relacionamento emancipado e autônomo, livre e, assim também, responsável. Acrescemos: é a águia parent que ensina a voar (Dt 32.11) e não ficar no ninho, e o Deus parent que ensina a andar (Os 11.3-4) em vez de ficar no colo.

10/08/2018

Nos caminhos da Luz, seguimos com integridade!




Bispa Marisa de Freitas Ferreira
Presidente da Região Missionária do Nordeste. ( Igreja Metodista do Brasil)


“A fé é um modo de já possuir aquilo que se espera, é um meio de conhecer realidades que não se veem” (Hb 11.1) 


Que afirmativa maravilhosa essa. A fé nos permite já viver aquilo que ainda não vemos, mas que Deus já nos disse que é herança de todas e todos: adoção em Cristo, conduta aos céus, libertação, perdão de pecados, santidade e “o Espírito Santo, que é a garantia da nossa herança” (Ef 1.13-14), e tudo por meio da Graça do Deus de amor (Ef 1.2-14). É uma graça sem limite esta de Deus. Quem quer recebe o Seu favor. Esta é a nossa fé e por ela vivemos. Graças a Deus por Jesus Cristo. Disto bem sabemos. A pergunta é: como viver segundo esta fé nos tempos de século XXI, com tantos desafios? 

11/07/2018

A doutrina do sacerdócio de todos os santos segundo Lutero.





Por: Timothy George. ( Teologia dos Reformadores. 1 ed. Cap 3, p. 96-98. São Paulo, Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, 1994)



A maior contribuição de Lutero à eclesiologia protestante foi a sua doutrina do sacerdócio de todos os cristãos. Contudo, nenhum outro elemento de seu ensino é tão mal compreendido. Para alguns, isso significa apenas que não há mais sacerdotes na igreja; é a secularização do clero. Dessa premissa, alguns grupos, notadamente os quacres, defenderam a abolição do ministério como ordem distinta dentro da igreja. Mais comumente, as pessoas acreditam que o sacerdócio de todos os cristãos implica que cada cristão é seu próprio sacerdote, e, assim, possui o “direito do julgamento privado” em assuntos de fé e doutrina. Ambos os casos constituem perversões da intenção original de Lutero. A essência de sua doutrina pode ser expressa numa única frase: todo cristão é sacerdote de alguém, e somos todos sacerdotes uns dos outros.

12/06/2018

A Reforma Protestante e as Missões



Por Ronaldo Lindório ( Dr. em Antropologia e missionário transcultural)


A Reforma Protestante, desencadeada com as 95 teses de Lutero e divulgadas em 31 de outubro de 1517, foi, sobretudo, eclesiástica, em um momento em que todos os olhares se voltavam para a reestruturação daquilo que a Igreja cria e vivia. Renasceram, assim, os dogmas evangélicos. A Sola Scriptura defendia uma Igreja centrada nas Escrituras, a Palavra de Deus; a Sola Gratia reconhecia a salvação e a vida cristã fundamentadas na graça do Senhor e não nas obras humanas; a Sola Fide evocava a fé e o compromisso de fidelidade com o Senhor Jesus; a Solus Christus anunciava que o próprio Cristo estava construindo sua Igreja na terra, sendo seu único Senhor; e a Soli Deo Gloria enfatizava que a finalidade maior da Igreja era glorificar a Deus.
A missão da Igreja, sua Vox Clamantis (“a voz que clama”), não fez parte dos temas defendidos e pregados na Reforma Protestante de forma direta. Isto por um motivo óbvio: os reformadores, como Lutero, Calvino e Zuínglio, possuíam em suas mãos o grande desafio para reconduzir a Igreja à Palavra de Deus e, assim, todos os escritos foram revestidos de uma forte convicção eclesiológica e sem preocupação imediata com a missiologia. Isto não dilui, entretanto, a profunda ligação entre a Reforma Protestante e a obra missionária por alguns motivos. Vejamos:

08/05/2018

Espiritualidade e missão.


Por Ronaldo Lindório ( Dr. em Antropologia e missionário transcultural)


A ligação entre a espiritualidade cristã (como seguimos a Cristo) e a missão (como O servimos) é um assunto que carece de frequente reflexão, especialmente quando o abismo entre a fé e a vida parece crescer. Em nossos dias há um claro descompasso entre o conhecimento adquirido – bíblico e teológico – e o cumprimento da missão.
John Knox já nos alertou que a ponte entre o conhecimento e a transformação é o quebrantamento. Ou, em outras palavras, a única maneira de traduzirmos o que cremos, ouvimos e pregamos para a forma como vivemos é passando por um quebrantamento de coração.

03/04/2018

Restaurando o ardor missionário.




Por Ronaldo Lindório ( Dr. em Antropologia e missionário transcultural)

Queridos, é um prazer estar com vocês hoje nesta tentativa de, juntos, aprender e compreender um pouco mais da visão e do sonho de Deus para nós e também para sua igreja. Vamos abrir nossas Bíblias em Apocalipse 3:15 a 17 e falar sobre a igreja e sua missão, partindo do pressuposto de que nem toda visão do homem de Deus é, necessariamente, a visão de Deus. E se isso é verdade, nem toda visão da igreja de Deus é necessariamente a visão de Deus.


Se vocês concordam comigo, o homem não tem a visão completa da sua missão, nem a igreja o tem, nós precisamos buscar na fonte, que é o próprio Deus, e devemos entender não apenas as expectativas dEle, mas devemos entender os critérios que Deus colocou para que sua igreja pudesse ser sal da terra e luz do mundo.

Parte destes critérios nós podemos encontrar em Apocalipse 3:15 a 17. Esta carta de Jesus à igreja de Laodicéia, sabemos que faz parte de um conjunto de sete cartas, escritas por Jesus à sua igreja e, apesar de termos esta visão escatológica de Apocalipse, eu gostaria de lhes propor de olharmos para ele como um livro, não apenas escatológico e que tem a ver sobre sinais do fim, mas como um livro também existencial, que tem a ver sobre princípios de vida para minha existência, para sua história pessoal e para a vida da igreja hoje no século XXI.

13/03/2018

Os Metodistas!



    Por Fabio Alves

Pense numa nação onde a crise social esta em cada esquina. Uma nação sem saúde pública, sem educação pública com trabalhadores que fazem jornadas de até 16 e 12 horas por dia sem nenhuma garantia.  Pense em crianças que estão pelas ruas abandonadas. Pense num número grande de viciados em bebidas alcoólicas, violência contra mulheres e crianças. Pense em governantes corruptos que legislam em causa própria e em favor de uma elite social corporativa e extremamente insensível que acumula fortunas com práticas sociais aviltantes e inescrupulosas. Os mesmos que facultam o poder sobre os meios de produção e sobre seres humanos privando todos os cidadãos dos meios de subsistência. Pense numa imprensa manipuladora e numa igreja e lideres religiosos que acham que os menos afortunados estão nesta condição porque Deus os abandonou ou por conta de seus pecados. Pense que tal raciocínio para nosso espanto não parte do povo, mas do púlpito.

11/02/2018

Ética e esperança na igreja do Brasil.




Por Pastor e Teólogo Ariovaldo Ramos 

" Vós não sabeis de que espírito sois. " disse Jesus em Lc 9.55, aos irmãos Tiago e João, que, quando perceberam que uma aldeia de Samaria se recusava a permitir a passagem de Jesus, perguntaram-lhe se gostaria que pedissem ao Pai que mandasse fogo do céu para destruir aquela vila. Jesus explicou que o filho do homem não veio para destruir a alma dos homens, mas para salvá-los. 

02/01/2018

Missão Integral





 Por Fabrício Roger de Souza Lopes 
(Trecho do trabalho de conclusão de curso). Faculdade Metodista de SP.
  
Em meio a um período conturbado da história recente da América Latina, quando nosso continente foi sacudido por profundas convulsões políticas, ideológicas e sociais, muitos cristãos  aderiram  à  agenda   da  Teologia  da Libertação. A Fraternidade Teológica Latino-Americana tem feito um esforço sério no sentido de apresentar uma alternativa a essa teologia que fosse bíblica, evangélica e igualmente radical em suas implicações.

Eles demonstraram que as igrejas podem permanecer fiéis às suas convicções históricas e, ao mesmo tempo, adotar uma postura  ousada  e  coerente  em  relação aos  problemas  sociais.

08/12/2017

Credo Social Metodista!




Igreja Metodista do Brasil.

I - NOSSA HERANÇA
1- A Igreja Metodista afirma sua responsabilidade cristã pelo bem-estar integral do homem como decorrente de sua fidelidade à Palavra de Deus expressa nas Escrituras do Antigo e Novo Testamentos.

2- Essa consciência de responsabilidade social constitui parte da preciosa herança confiada aos metodistas pelo testemunho histórico de João Wesley.

3- O exercício dessa missão é inseparável do Metodismo Universal ao qual está vinculada a Igreja Metodista por unidade de fé e relações de ordem estrutural estabelecidas nos Cânones.

4- A Igreja Metodista participa dos propósitos de unidade cristã e serviço mundial, do Conselho Mundial de Igrejas.

5- No presente século de gigantesco progresso científico e tecnológico, a Igreja Metodista reafirma a verdade proclamada por João Wesley no século XVIII na Inglaterra: “Vamos unir ciência e piedade vital há tanto tempo separadas”.