01/01/2010

Raiz de amargura!

Por Pastor Silas Quirino de Carvalho


A principal armadilha  que o diabo usa para neutralizar e/ou reassumir controle através das obras da carne e, reimprimindo paixões mundanas na alma de pessoas que provaram conversões verdadeiras, enchendo-as de terríveis  espíritos de incredulidade,  depois de terem provado, experimentado  Jesus Cristo verdadeiramente (veja I Pedro 2.1-3), É A RAIZ DE AMARGURA. Decore Hebreus 12.15 e imprima esta advertência do nosso Deus em seu espírito. Veja na versão contemporânea, na NVI e em outras.
A “raiz de amargura” é uma poderosíssima arma maligna contra os filhos de Deus, e não importa quantos anos de vida vitoriosa um crente tenha tido. Ao dar lugar a ela, sua fé começará secar; as obras da carne e começarão a crescer nele e logo os demônios  o neutralizarão. Alguns se tornam incrédulos e, depois de anos de vida em Cristo, tornaram-se mundanos e se apostatam por causa de efeitos dela.


 A Raiz de amargura é formada através das ofensas, agressões, injustiças, sofrimentos, prejuízos, perdas, decepções, qualquer tipo de mal ou experiências negativas que uma pessoa  tenha sido vítima ao longo da vida ou em determinadas situações. Os demônios e o mundo, através das pessoas, têm  “mil e uma” maneiras para produzir isso em todas as pessoas. O “inferno”  trabalha com esse instrumento o tempo todo. E quando as pessoas usadas são evangélicas, os efeitos dessa arma são ainda maiores.
 Os principais objetos contra os quais se concentram a raiz de amargura são: Pessoas, circunstâncias da vida e o próprio Deus. Muita gente vive cheia de amargura contra tudo e especialmente contra Deus. Onde houver qualquer tipo de raiz de amargura, há aprisionamentos espirituais e uma ação contínua de tormentos.
 As formas através das quais a “raiz de amargura”  se manifesta são: ressentimento, mágoa, ira, ódio, contenda, inimizade, tristeza, frustração, incredulidade, murmuração, maledicência, sentimento e impulso de vingança e etc. Na verdade a “raiz de amargura” abre as portas para todas as obras da carne  ( veja Gal.5.19-21).
Conforme está no texto bíblico, a amargura tem RAIZ.  Quando ela é recebida e/ou encontra espaço em uma pessoa, vai se enraizando cada vez mais na alma dela e aprisionando o seu espírito. Esse enraizamento passa do consciente para o inconsciente das pessoas e as atormentam por toda a vida.
            Muita gente se converte, mas não se livra/liberta da raiz de amargura, por isso começam a vida cristã com entusiasmo e alegria,  mas depois de algum tempo esfriam e/ou abandonam  o Evangelho, a Palavra de Deus, o povo de Deus (a igreja)  e Jesus Cristo.
A “raiz de amargura” é uma poderosíssima arma maligna contra os filhos de Deus, e não importa quantos anos de vida vitoriosa um crente tenha tido. Ao dar lugar a ela, sua fé começará secar; as obras da carne começarão a crescer nele e logo os demônios  o neutralizarão.
Muita gente se converte, mas não se livra/liberta da raiz de amargura, por isso começam a vida cristã com entusiasmo e alegria,  mas depois de algum tempo esfriam e/ou abandonam  o Evangelho, a Palavra de Deus, o povo de Deus (a igreja)  e Jesus Cristo.
O que gera e produz a “raiz de amargura” não são necessariamente os males, ou prejuízos, ou ofensas, ou agressões, etc, que uma pessoa ou situação possam nos causar, MAS É A FALTA DE PERDÃO. 

A maior parte das enfermidades/doenças e sofrimentos físicos, emocionais, derrotas, etc, das pessoas é causada pela “raiz de amargura”; pelos ressentimentos e ódios enraizados. A raiz de amargura é a causa PRINCIPAL de infidelidade conjugal, e destruição de muitos casamentos, família e até homicídio.
Há cura para esse terrível mal e libertação das suas armadilhas? É claro que há. A cura e libertação dela fazem parte da obra de Cristo na cruz e da salvação/libertação de todos os que invocam o nome de Jesus Cristo verdadeiramente (veja At. 2.21 Rom. 10.9,10: João 10.9,10 e 8.36).

            O que gera e produz a “raiz de amargura” não são necessariamente os males, ou prejuízos, ou ofensas, ou agressões, etc, que uma pessoa ou situação possam nos causar, MAS É A FALTA DE PERDÃO. Repetindo: a falta de perdão é a causa da “raiz de amargura”. Não importam os males ou o que nos tenham causado.

            A única  provisão de Deus para nos guardar ou nos libertar e curar da raiz de amargura e seus efeitos  É O PERDÃO.  Perdão, não meramente de palavras, mas algo profundo e espiritual, que envolva todo o nosso ser.

            Muitas pessoas passam a vida toda sofrendo ofensas e agressões — algumas começam no útero, seguem no nascimento, na primeira infância, na segunda infância, etc. Estamos o tempo todo expostos a isso. E a “raiz de amargura” vai para o subconsciente e inconsciente da pessoa.

            Somente uma pessoa que conheceu e conhece Jesus Cristo  verdadeiramente e O recebeu mesmo como Senhor  e Salvador, pode perdoar completa e totalmente — o perdoar  com todo nosso ser faz parte da obra de Cristo em nós; de estarmos nEle e Ele em nós.

COMO SER CURADO/LIBERTO DA RAIZ DE AMARGURA

E SEUS EFEITOS DESTRUIDORES
            Se uma pessoa se converter verdadeiramente, mas não investir sinceramente para ser LIBERTA/CURADA  da “raiz de amargura”  e todos os seus efeitos; e/ou  após a CURA não se vigiar continuamente para não permitir que daí para frente outras situações geradoras a levem novamente para esse abismo, MESMO QUE TENHA PASSADO POR UM PROCESSO DE LIBERTAÇÃO DETALHADO E SINCERO, várias das áreas renunciadas serão novamente abertas, porque a “raiz de amargura”  é um pecado ofensivo a Deus e porta para os demônios aprisionar, atormentar e roubar a vida abundante (veja João 10.10)
ROTEIRO PARA BUSCAR E RECEBER CURA/LIBERTAÇÃO:

            1) Reconheça sinceramente e identifique  todas  as formas da  “raiz de amargura”. TUDO QUE LHE TENHA CAUSADO ALGUM TIPO DE SOFRIMENTO, presente em sua formação, experiência e história. Não há ninguém que não seja exposto a situações geradoras dela. Ela entra em nosso ser, às vezes violentamente, outras com sutileza e gradativamente.  Como isso ocorre sempre, uma “raiz” vai-se somando e sobrepondo-se a outras e vai construindo uma crosta e uma misturando-se a outra.  Quando uma pessoa se converte  e se rende a Jesus Cristo, irá necessitar da ajuda e operação do Espírito Santo para  trazer à luz e levá-la a recordar TODAS as situações que já foram para o seu inconsciente e subconsciente, e até aquelas que, quando ocorreram, a pessoa nem percebeu.

             2) Reconheça e entenda que a  “raiz de amargura”, conquanto seja causada diretamente por experiências desagradáveis com pessoas ou situações, na verdade quem está por trás de tudo é o diabo e seu império. Portanto, ao tratar desse assunto, temos que ter entendimento espiritual claro de Efésios 6.12. O Espírito nos revela que  “não é contra ca e e sangue que temos que lutar...”, não é contra pessoas humanas como nós, mas contra principados, potestades, príncipes das trevas deste século (poderes deste mundo tenebroso) e hostes espirituais da maldade ( forças espirituais da maldade)...

 3) Entender que a “raiz de amargura” é uma situação em nós, um problema, um mal em nós, um mal nosso, e  não das pessoas através das quais a situação causadora foi gerada. Inicial e geralmente, as pessoas ofensoras e causadoras das injustiças e males não são atingidas pela “raiz de amargura” causada por elas, intencionalmente ou não, ainda que elas façam isso por estarem cheias de amarguras causadas por outras pessoas e situações contra elas. Pessoas que ferem, que lesam, que causam sofrimentos, são vítimas dessas mesmas coisas, das quais não foram curadas e libertas.
Reconheça sinceramente e identifique  todas  as formas da  “raiz de amargura
4)  Entenda biblicamente que a “raiz de amargura”, em todas as suas formas, É PECADO contra Deus.  É pecado gravíssimo. Pecado de  NÃO PERDOAR e de ressentimento. TODO ressentimento é pecaminoso, é obra da carne e armadilha maligna contra a pessoa.
            5) Para iniciar o processo em si, identifique TODAS as situações  da sua história pessoal e da sua experiência de vida, às vezes ainda durante a gestação, rejeição dos pais quando se engravidaram (tentativa de aborto, etc). Também identifique as situações e AS PESSOAS causadoras (segundo a nossa avaliação, porque às vezes a pessoa não imagina que nos sentimos agredidos, feridos, ressentidos com algo que tenha ocorrido no relacionamento ou alguma situação com ela). É necessário identificar tudo mesmo,  que nos tenha feito sentir ofendidos, feridos, lesados, irados, revoltados, qualquer coisa que nos faça sofrer ao recordar, que cause sofrimento nessa área; e/ou que nos tenha semeado ódio, ressentimento, amargura, etc. IDENTIFICAR AS PESSOAS causadoras e envolvidas.
            6) Se possível, verifique, se porventura, no tempo da sua gestação, ainda que você tenha sido planejado e aguardado, seus pais não estavam vivendo um  contexto de amargura contra outras pessoas ou com a própria vida, e assim você nasceu sob essa carga, influência e transferência de amargura que é tão danosa quanto as outras formas de origem de amargura.
            7) É NECESSÁRIO E FUNDAMENTAL:
         A) Confessar a Deus todo o seu sentimento com relação a cada pessoa e situação, porque todos os componentes da “raiz de amargura” são pecados em si mesmos, e todo pecado é primeiramente contra Deus. Pessoas não regeneradas pelo poder da graça de Deus mediante o sangue de Cristo e a obra do Espírito Santo, não têm condições de perdoar verdadeiramente, porque o perdão é algo do Reino de Deus. Perdoar ofensas e ofensores não é fácil. Só começamos a ser liberados em nosso ser para perdoar, na medida do RECONHECIMENTO espiritual e arrependimento total diante de Deus dos pecados ligados à raiz de amargura. As pessoas, cujo espírito ainda está em trevas  — aprisionadas em delitos e pecados (Ef.2.1-8) por não terem se rendido a Jesus — não têm como se livrar, por si mesmas, das prisões infernais da “raiz de amargura”.

            B) Após  reconhecer, confessar sob verdadeiro arrependimento espiritual (não o mental ou emocional) a Deus, AGORA TEMOS QUE PERDOAR. Perdoar todas as pessoas agentes ou causadoras direta ou indiretamente — PERDOAR TAL COMO SOMOS PERDOADOS POR DEUS, independente do que nos tenha sido feito (De fato, nenhuma pessoa que não tenha experimentado e que não desfrute da experiência pessoal e diária do perdão de Deus, é capaz de perdoar total e verdadeiramente — somente os filhos legítimos de Deus  o são, porque agora, a natureza de Cristo está plantada neles (veja Col.2.6,7, etc.), e são capazes de amar, porque conhecem (experimentam) o amor de Cristo neles (veja Ef. 3.17-19).  PERDOAR É MANIFESTAÇÃO, PROVA DE AMOR: amor que decorre do amor de Deus na pessoa, e não do amor natural ( Rom.5.5).

            [As pessoas não regeneradas em Cristo não têm condições de perdoar totalmente, porque o espírito delas não está liberto em Cristo. O máximo que conseguem fazer É DESCULPAR, alguns em níveis bem profundos; mas  desculpar não é perdoar;  e os efeitos, correntes, prisões da “raiz de amargura” somente são erradicados e destruídos através do perdão.

            [ Mesmo sendo regenerados, temos que ter consciência de que PERDOAR aos que nos ferem, nos agridem e lesam, não é coisa fácil. Não acontece simplesmente por declarações verbais, nem de um momento para outro, mas É UMA BATALHA ESPIRITUAL, que pode durar semanas e meses para que a vitória seja total. O processo inclui:

            1) O diagnóstico real e reconhecimento da nossa realidade — a “raiz de amargura” é um mal dentro de nós, que atinge nossa alma e espírito;

            2) Arrependimento diante de Deus e confissão, confissão, confissão... desse pecado a Ele;

            3) DECISÃO. Perdoar é um  mandamento e a experiência de perdoar começa com DECISÃO. Perdoar é uma decisão que não se baseia nos nossos sentimentos, mas na obediência a um mandamento do Senhor. É uma decisão espiritual, e não emocional.

            8)  Ao começar perdoar AS PESSOAS, passe a declarar, em voz alta, em nome de Jesus, várias vezes por dia, que PERDOA a(s) pessoa(s) e a ABENÇOÁ-LA(s) — abra a boca e verdadeiramente proclame a BÊNÇÃO de Deus sobre ela(s), profetize, através da Palavra de Deus, bênçãos de Deus, e abençoe você mesmo (a); abra  a boca e abençoe a tais pessoas sinceramente ( veja Rom.12.14,21; Lucas 6.28).

            [ Cada vez que os sentimentos retornarem (às vezes eles trazem tristeza, à nossa alma antes que a lembrança chegue à nossa consciência) DECLARE A VOCÊ  que já perdoou e que aquela pessoa não lhe deve mais nada. E abençoe. Cada vez que recordar ou vier o sentimento, abençoe  a pessoa;
            [ Lembre-se de que quem está sendo liberto(a) e curado(a) é você e não as pessoas geradoras da sua “raiz de amargura”.

2 comentários:

KinháH disse...

Texto muito bom! Muito edificante!

Anônimo disse...

A raiz de amargura
E a maior arma do inimigo para destruir o filho de Deus
Este texto e o mais completo em ensinamento e reflexão que achei na net ,que foi o próprio Deus que me mostrou para a minha cura.
Deus abençoe !

Postar um comentário